Cartola – Cartola (1976)

Um LP que começa com “O Mundo É um Moinho” já merece palmas logo de cara. Essa composição, uma das mais bonitas da música brasileira, ganha um tom delicado com a flauta no início e o violão fazendo o acompanhamento de forma leve, mas a letra é bem triste e fala sobre uma decepção amorosa. Regravada aos montes por aí, nenhuma bate a interpretação original. Depois a faixa ganha força da presença de mais instrumentos, porém o tom continua seguindo a sobriedade das palavras ditas.

“Minha” é outra também melancólica. O tom mais animado ajuda a dar um tom de resignação do personagem principal, que acreditou em “cartomantes, bolas de cristal e cigana” quando contaram a ele que ela seria dele até o fim. Para exaltar a escola de samba Mangueira, “Sala de Recepção”, com a participação de Creuza dos Santos (1927-2002), foi composta em 1940 para homenagear a então novidade no carnaval carioca. No Rio de Janeiro, escola de samba é coisa muito séria – mais importante que time de futebol.

Uma típica faixa composta para reclamar da atitude de uma mulher, “Não Posso Viver Sem Ela” é sobre o homem que sempre perdoa, mesmo sabendo dos defeitos e dos pecados da amada em uma gafieira das mais animadas. A seguinte, a linda “Preciso Me Encontrar”, foi um pedido de Barroso ao amigo e também sambista Candeia (1935-1978) para o disco. E ninguém mais do que Cartola conseguiria cantar a angústia de sair por aí sem destino, enquanto a mágoa o corrói por dentro. A saudade é tema de “Peito Vazio”, o encerramento do lado A.

E o lado B abre com outra faixa de letra melancólica, “Aconteceu”, mas, de novo, o tom animado esconde que o personagem está dispensando a antiga amada por não amá-la mais. Outro clássico, “As Rosas Não Falam” nasceu de uma dúvida de Dona Zica sobre ter tantas rosas logo após serem plantadas. Cartola simplesmente respondeu: “não sei, as rosas não falam”. Dessa frase nasceu outra grande composição do sambista sobre a melancolia do amor.

“Sei Chorar” trata de uma pessoa já experiente na arte da decepção amorosa que fica desapontada por um amor platônico, já “Ensaboa” é uma faixa simples sobre o hábito de lavar roupa no rio. E se “Senhora Tentação”, de Silas de Oliveira, traz a adrenalina do duelo interno de sucumbir à tentação, “Cordas de Aço” é uma homenagem ao eterno companheiro de composição: o violão.

As composições de Cartola são a fina flor do samba brasileiro. Poucos conseguiram traduzir o cotidiano em canções tão simples de entendimento. Esse disco deveria ser estudado nas escolas de tão bom que é e por trazer letras incríveis.

Texto Original: