Avishai Cohen – Lyla (2003)

Combinando fontes latinas e grooves de dança eletrônica com samples e elementos texturais, covers pop, piano solo e métodos tradicionais de jazz, Avishai Cohen sem dúvida conseguiu criar um álbum verdadeiramente multigênero. Lyla não apenas apresenta música de diversas fontes, mas mostra a disposição de Cohen em misturar e borrar linhas de gênero para estabelecer um fenômeno moderno e heterogêneo. Ao contrário de muitos empreendimentos semelhantes, a música de Cohen não parece fácil ou superficial, e os elementos musicais transplantados nunca parecem ser mal colocados, rotulados ou resultado de jogadas de marketing. Na verdade, mesmo quando os resultados são falhos, cada faixa ressoa com um tom honesto de interesse e conhecimento musical genuíno. Em última análise, é até difícil discernir quais elementos são transplantados e quais nativos.

Data do lançamento: 09/09/03.

Texto Original:

Kurt Rosenwinkel – Heartcore (2003)

Demorou bastante, mas o guitarrista Kurt Rosenwinkel se superou em Heartcore, co-produzido com o hip-hopper Q-Tip. Os fãs de seu lançamento aparentemente antigo de 2001, The Next Step, vão adorar Heartcore por sua continuidade na veia “Rosenwinkelian” de melodias e harmonias impetuosamente inventivas e originais (reforçadas pelo ruído ambiente e o eco simultâneo de sua voz espelhando suas linhas fluidas de guitarra). Muito poucas músicas estão em tempo 4/4. Pouquíssimas músicas soam como qualquer outra que ele tenha feito antes. Mas todos eles têm os valores centrais da modernidade e absoluta franqueza e franqueza. Pela primeira vez, Rosenwinkel usa amostragem e programação digital em uma gravação que, segundo ele, consumiu grande parte dos últimos três anos e reúne coisas que ele queria fazer há muito tempo.

Data do lançamento: 08/09/03.

Texto Original:

Yo-Yo Ma – Obrigado Brazil (2003)

Como embaixador cultural para o mundo, Yo-Yo Ma mergulhou na música nativa de muitos países e levou lembranças encantadoras de suas explorações musicais que ele compartilha abertamente e sem afetação. A principal característica da abordagem de Ma é a exibição de outros talentos, com uma modéstia e generosidade de sua parte que torna essas performances ainda mais atraentes. Em Obrigado Brasil, Ma divide os holofotes com músicos do mais alto calibre, incluindo a cantora de bossa nova Rosa Passos, a dupla de violões Sergio e Odair Assad, o clarinetista Paquito d’Rivera, a pianista Kathryn Stott e o percussionista Cyro Baptista, entre muitas outras estrelas. Todos os artistas demonstram profundo sentimento, energia e convívio, sem dúvida inspirados pela boa vontade contagiante de Ma e pela sua forma de tocar de coração aberto. Quer envolva o ouvinte com números populares, como as canções de Antonio Carlos Jobim e Pixinguinha, ou com peças mais clássicas de Heitor Villa-Lobos, Camargo Guarneri e Egberto Gismonti, Ma oferece uma ampla amostragem dos diversos estilos musicais brasileiros. De choros tristes a sambas animados, o espectro da música sertaneja está bem representado, e há algo aqui para agradar qualquer viajante de poltrona. A gravação da Sony é excelente, com atenção especial direcionada à captura da cor instrumental.

Data do lançamento: 29/07/03.

Texto original: